Sessão na Câmara de Diamante é marcada por bate-boca entre vereadores em município do Vale do Piancó

Sessão da Câmara de Vereadores de Diamante
Sessão da Câmara de Vereadores de Diamante
Crédito da Imagem: Divulgação

Tudo começou quando Coronel Fonseca afirmou que o recém-empossado parlamentar, José Venâncio, chamou o governador João Azevedo de covarde

A sessão da Câmara Municipal de Diamante (PB) deste sábado (26) foi marcada por bate-boca entre vereadores da base do prefeito.

Tudo começou quando Coronel Fonseca afirmou que o recém-empossado parlamentar, José Venâncio, chamou o governador João Azevedo de covarde em plenária durante as eleições deste ano, e que a fala não foi incluída na Ata da referida sessão.

“Quem não se lembra que o vereador Venâncio chamou o governador de covarde? Disse isso, disse aquilo, e não saiu nada na Ata. Se for ajeitar a Ata, vai ter que ajeitar a dele”, afirmou.

Fonseca declarou também que se não incluir as declarações do colega na retificação da Ata, vai na assessoria jurídica do governador.

Venâncio tomou a palavra e rebateu as acusações do vereador, afirmando que não falou da vida pessoal de João, apenas dele enquanto governador.

“Eu chamei ele sim de covarde e de omisso, isso eu não escondo não, Coronel. Ele foi omisso com Diamante sim, isso todo mundo sabe”, alegou.

O parlamentar novato ainda cobrou respeito e disse que funcionários da Casa têm medo do Coronel, mas que com ele na Câmara, todos terão tratamento igual.

“Você não vai pisar em ninguém aqui não, enquanto eu tiver, não” expressou.

Entre o bate-boca, Fonseca mudou de alvo e se dirigiu à presidente Maria de Lourdes, mais conhecida como Lurdinha de Bá, e cobrou dela mais trabalho. 

“A presidente da Câmara tem também que dar expediente. Ganha 60% a mais pra isso. Me diga qual foi o dia que a presidente de Câmara deu expediente aqui? Expediente é de 7  [horas] às 8 [horas]. Aqui não dá expediente”, expôs.

Lurdinha refutou a afirmação do aliado. “Dou expediente sim. Sou eficiente. Toda população de Diamante me conhece. 99% dos ofícios é assinado pela presidente”, falou.

A chefe do Legislativo diamantense ainda asseverou que o colega estava levando questões pessoais para a Câmara e que deveria tratar isso fora da Casa. Ela disse também que sempre considerou o vereador. 

“Nunca destratei o senhor nem aqui na Câmara nem fora. Sempre tive respeito", declarou. 

Dando prosseguimento à discussão, Coronel afirmou que a revolta dele é decorrente de ingratidão que recebeu do prefeito Hermes Filho após a entrada dos três novos vereadores.

“Depois que vocês chegaram, o pessoal novato, nós fomos escanteados. [O prefeito] escanteou eu, escanteou Melo, escanteou Lucivanio, escanteou Damião Juca”, disse.

A alegação, no entanto, foi negada por Lurdinha e Venâncio. Este afirmou que todos os vereadores desfrutam dos serviços da Prefeitura.

Não é a primeira vez que Coronel se envolve em discussão com a base do prefeito. Ele já usou a plenária para criticar a Secretaria de Esportes local, reiterando que o secretário não faz nada em prol da pasta.

Em outra situação, ele bateu-boca com o procurador geral do município sobre projeto de reajuste do magistério.

 

QR Code

Comentários

Aviso Legal:Qualquer texto publicado na internet através doNotícia Já, não reflete a opinião deste site ou de seus autores e é de responsabilidade dos leitores que publicam.